14 de fev de 2011

Nostalgia

   Como é possível sentir falta de algo que não foi vivenciado? Indagação sem uma resposta nítida, e várias correntes opinativas supostamente aptas a tentar respondê-la. Eu realmente não conheço nada em condições de sufocar meu amplo interesse pelo passado. Quando não há iniciativas de valor, a busca remonta para tempos onde o foco procurado estava reluzindo.
   Há um pesar enorme sobre tudo o que não aconteceu, fatos que poderiam ter um desfecho diferente do que tomaram, ações que poderiam ser evitadas, ou atos que deveriam ser realizados e não o foram. Com certeza, há uma obscura lacuna entre o que foi e o que está sendo, considerando todas as possibilidades. Porém, não é disso que sinto falta, pois tenho a idoneidade para deliberar o que há de vir. A sensação de prantear por algo do qual não fiz parte é a dúvida atroz que me chicoteia neste momento.
   O fato é que não se pode atrelar ao passado sem arquitetar algo posterior. Creio que o mundo se dá pelo que se fez, pelo que está sendo feito e pelo que se fará. Todavia, há algo inexplicável: essa inquietação imaterial sobre viver num tempo que não podia ter sido o meu. Acostumo-me a essa realidade, mas lamento ao refletir sobre tudo de bom que já houve e não há mais. É um retrocesso, um fenômeno reacionário, algo que causa decadência.
   Para exemplificar, lembro-me de quando a glória e a honra da espada foram substituídas pela covardia das armas de fogo. Recordo-me do tempo em que a arte era feita pela arte, pelo simples, puro e prazeroso ato de criar algo apreciável, sem interesses imundos. Também me rememoro da época dos grandes protestos e das grandes revoluções.
   Mundo moderno, oferece conforto e tira a paz. Era contemporânea, cada vez mais avançada em tudo que se poderia imaginar, entretanto com a mesma mentalidade dos séculos passados. Direitos Humanos não valem de nada. Leis são inúteis.
   Sinto falta daquilo que seria útil nos dias de hoje, e fica suspenso no mural da história, no luxo do mofo e das traças.
   Sinto falta dos heróis, das grandes coisas que eram feitas.                    
   Sinto falta das pessoas, pois o tempo passa, e elas não mudam.
   Sinto falta de quem escrevia pensando que podia mudar o mundo.

Alberto.

7 de fev de 2011

Minha Arte

ARTE é tudo aquilo que choca e espanta, e que faz pensar. ARTE é feita para abrir os olhos.
E o resto... bom, o resto não é nada.

Alberto.