17 de fev de 2014

Que faz um pensador dialético
quando a síntese é manca?
Expõe a tese
escancara a antítese
angustiado e impotente
joga a contradição
no tempo.
Resignado? Jamais,
caro leitor exigente,
sem horizonte
sem saída
ainda militante.
Sem resignar-se, leitor meu
a conivência é inimiga
do desespero.
Minha poesia
é caos revolucionário.

- Alberto Sartorelli