20 de jun de 2017

ECOS


gás lacrimogênio
a polícia matou meu pai
meu filho
amor, por quê está me batendo?
a SS acobertava os gritos
judios
lancinantes
com música!
um preto um pobre um estudante
chez douleur
no welfare estado
en el subdesarollo
tanto faz samba
triste
vai ruindo os sonhos tão mesquinhos
e segundo a dor
no mundo, havia armênios
Hiroshima, Nevers,
Auschwitz, São Paulo
ninguém está nem aí
viado/travesti/sapatão
bicuda de coturno
o pai patrão
trabalho de merda
vou me drogar
a autoridade professoril
a autoridade
estou sem grana, cara
sem cara
sem ser
humano?
foda-se o drama

o burguês.

Nenhum comentário:

Postar um comentário